opinião | 3 razões para adorar e detestar a série 13 Reasons Why

by - sexta-feira, novembro 17, 2017

imagem: schmoesknow.com
Seria mais engraçado se vos desse 13 razões para adorar e detestar esta série, não era? Considerem estas 3 um concentrado!

Quando uma série começa a gerar muito hype, eu mantenho-me alheia por achar que é sempre um exagero. Isto aconteceu também com a 13 Reasons Why: não entendia porque, de repente, toda a gente falava tanto numa série que até parecia depressiva. Passado uns meses comecei a ver uma no Netflix e só depois de 1 ou 2 episódios é que percebi que era esta - felizmente, como sou má de memória, não me lembrei de nenhum de spoiler.

Agora sei porque toda a gente viu esta série e não parava de falar nela: a 13 Reasons Why prende-nos logo de início com um enredo misterioso que vamos descortinando praticamente à mesma velocidade que as personagens. Todos queremos saber o que aconteceu à Hannah e o que a levou a fazer aquilo! Nos primeiros episódios parece que a rapariga fez uma tempestade num copo de água mas, à medida que vamos descobrindo mais, tudo começa a fazer sentido.

Depois o elenco está muito bem conseguido, com adolescentes nada infantilizados e com preocupações reais. Também não posso deixar de falar da banda sonora, que é espectacular: desde o lendário 'Love Will Tear Us Appart', aqui interpretado pelos Joy Division, à 'Doing It To Death' dos The Kills, passando por The Cure e até Selena Gomez (que, btw, é produtora executiva da série): não há episódio que não nos deixe com uma música na cabeça e vontade de ouvir o soundtrack - que está aqui no Spotify, caso queiram aproveitar. Nesta série as músicas ganham uma carga emocional ainda maior e contribuem para nos prender ainda mais.

Devorei episódios uns atrás dos outros até ao 5º e admito que estava a sentir-me viciada: todas as horas livres que tinha eram para ver a série e não parava de pensar nela! Depois ficou um bocado aborrecido até ao 7º ou 8º episódio: fazia-me lembrar demasiado as Pretty Little Liars e os seus mistérios sem fundamento, fiquei com receio que a 13 Reasons Why também seguisse esse caminho de "Vamos lá alimentar a história com mais personagens e histórias vindas do nada e logo se vê no que dá". Mas melhorou! O fim foi o que esperávamos ver - bem, quase - e com ele não sei como darão seguimento a mais temporadas, mas quero descobrir!

Mas há outras razões por que a 13 Reasons Why nos prende tanto, e estas três de que vos falo têm um duplo sentido: tanto nos fazem adorar a série, pelo entretenimento que nos proporciona e toda a dinâmica que nos prende, como detestá-la pelo que nos faz sentir e lembrar. Vejam se concordam comigo:

  1. Transporta-nos de volta à nossa adolescência: essa fase que, por um lado queremos esquecer e, por outro, foi quando vivemos alguns dos momentos mais marcantes da nossa vida. A 13 Reasons Why gira em volta de um grupo de adolescentes, por isso torna fácil identificarmos-nos com as personagens e com as suas histórias. Ao ver esta série senti-me constantemente a viajar no tempo, envolta numa aura de nostalgia e melancolia, porque eu também podia facilmente fazer parte daquele grupo e revi-me em algumas situações menos boas;
  2. A história mexe muito connosco: quem nunca sofreu um desgosto de amor? Quem nunca duvidou de si próprio, nunca questionou quem é, nunca se sentiu inseguro, nunca foi alvo de algum tipo de bullying? Quem nunca quis desaparecer, quem nunca fez coisas de que se arrependeu, quem gostaria de voltar atrás para fazer diferente? A personagem principal e as secundárias desta série são muito intensas, erram, magoam-se a si e a outros, escondem segredos e fingem estar tudo bem, tal como acontece na vida real. De facto, de tão emocional que é, a série chega a ser depressiva: toca-nos em feridas profundas e não dá grande margem para esperança por um futuro melhor. Por isso gerou alguma controvérsia e está associada a comportamentos de risco (exemplo);
  3. Faz-nos repensar as nossas atitudes: já ouviram falar no "efeito borboleta"? Esta teoria dita que todas as nossas ações têm consequências, maiores ou menores, com mais ou menos impacto na nossa vida e na vida de outras pessoas, ainda que possamos não nos aperceber. No 13 Reasons Why até a pessoa mais insignificante tem influência no desfecho da história porque, muitas vezes, ao ignorarmos algo, estamos também a tomar um partido. Ver esta série faz-nos perceber isso de forma dura e repensar todas as nossas atitudes - neste aspeto faz lembrar o programa 'E se fosse consigo?' da SIC.

Acho que é preciso "ter estômago" para acompanhar esta série até ao fim, não porque nos dá a volta à barriga, mas sim porque nos pode deixar fragilizados. Houve partes que quis passar à frente porque eram muito pesadas, mas também houve outras que me fizeram chorar de alegria. É praticamente impossível não criarmos um laço com as personagens da 13 Reasons Why e, com isso, indignarmo-nos, revoltamo-nos, vibrarmos, festejarmos e tudo mais como se lá estivéssemos. 

Vale a pena ver, porque é uma série que está muito bem feita, mas não deixem que nos afecte demasiado. É só uma série, na vida real temos poder para fazer diferente! 😉

Posts relacionados

2 comentários

  1. Não podia concordar mais contigo! Chorei em muitas partes desta série mas lá no fundo, adorei!

    Beijinhos
    THAT GIRL | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar
  2. Bem agora fiquei com muita vontade de ver. Confesso que sou como tu, quando falam muito de uma série não sinto vontade de a ver, pelo contrário, até vou evitando.xD

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}