pessoal | A ginecologista que não vou querer voltar a visitar

by - quarta-feira, abril 06, 2016

Este episódio que vos vou contar aconteceu há alguns meses e, nessa altura, eu fiquei tão furiosa que só me apeteceu contá-lo a quantas mais pessoas conseguisse! No entanto controlei-me e não falei nele aqui, achei um bocado embaraçoso e íntimo, mas hoje cheguei à conclusão que pode ajudar alguém na mesma situação :)

Desde que eu e o Zé vivemos juntos que tive de mudar de médicos, já que não me dá muito jeito fazer 40 km para continuar a ir aos mesmos onde ia praticamente desde sempre. A ginecologista foi a escolha que arrastei por mais tempo, por razões óbvias. A conselho da minha sogra, lá acabei por marcar consulta numa clínica a pouco mais de 10 minutos de onde vivo agora, e que podia atender-me em menos de uma semana: dois pontos a favor!

A visita a essa ginecologia não podia ter começado da pior forma: esperei 2 horas para ser atendida, mesmo tendo feito marcação. Escusado será dizer que entrei fula no consultório, e fiz questão de referir que estava prestes a ir embora, dado o tempo de espera. A Senhora Doutora não gostou da minha "rebeldia" e deu-me um sermão descomunal, dizendo que respeita o tempo de consulta de todas as pacientes, e que algumas simplesmente exigem mais tempo que outras. Depois disto, imaginem a minha vontade de lhe falar das minhas questões íntimas e ser observada...

Mas avancei, pois tinha dois aspectos principais que queria resolver: estava determinada a parar de tomar a pílula e informar-me sobre o copo menstrual. Comecei pela questão da pílula...

Eu - Doutora, quero parar de tomar a pílula.
Ela - Porquê? A menina está a planear engravidar?
Eu - Não...
Ela - Ah, ainda bem, porque ainda é muito jovem e tem muito tempo pela frente! (?!) Então diga-me lá por que quer parar de tomar a pílula...
Eu - Estive a ler e percebi que a pílula tem uma grande carga hormonal que quero evitar. Além disso...
Ela (interrompendo) - Esteve a ler onde?
Eu - Na internet, em revistas...
Ela (interrompendo e furiosa) - Pois, vocês põem-se a ler o que está na internet, depois vêm para aqui com ideias distorcidas! Não podemos acreditar no que está na internet! Qualquer pessoa pode lá escrever o que quiser! A internet é só mentiras! (e continua por mais um tempo que me pareceu infinito, enquanto eu esperava calmamente que ela terminasse)
Eu (calmamente)- Pois, tem alguma razão no que diz mas, sabe, o meu trabalho é procurar e selecionar informação na internet, por isso acho que sei distinguir o que encontro.
Ela (surpreendida) - Ah, nesse caso peço desculpa! É que não imagina a quantidade de pessoas que aqui vêm e dizem que leram coisas na internet (...)

Pouco depois ela retomava o sermão de "não podem acreditar em tudo o que lêem", disse que a prescrição de outros contraceptivos estava reservada a mulheres que, por questões de saúde ou idade, não pudessem tomar a pílula, e muitos outros argumentos que não me pareceram 100% verdade. Apesar da minha resistência, deu o assunto por encerrado e acabou por me receitar uma pílula que supostamente resolveria os meus ódios de estimação - 'Toma a pílula ou não toma, você é que sabe, mas não vou prescrever outro contraceptivo porque este é que é o mais indicado para o seu perfil!'.

Posto isto, passei para a questão do copo menstrual... o que eu fui fazer!

"O copo menstrual é só para as atletas que vão escalar montanhas e não têm condições para usar tampões e pensos! Ou outras em situações assim! Usar o copo menstrual está fora de questão, porque bla bla bla infecções, bla bla bla silicone, bla bla bla moda, bla bla bla as pessoas não sabem o que andam a fazer (...)"

Tive de desistir e, pior que isso, já não me sentia à vontade (nem com tempo) para esclarecer as outras dúvidas que me tinham feito marcar aquela consulta! Partimos para a observação, que foi muito constrangedora, com ela a mandar piadas para quebrar o gelo, e eu a tentar descontrair e a fingir sorrisos. A saída dela que me marcou foi:

"A menina tem aqui um belo útero e os belos óvulos! É só descuidar-se que engravida logo!"


Compreendo que desse lado já devam estar a chorar a rir, mas eu saí do consultório tão enervada e furiosa que, assim que cheguei a casa, explodi a chorar. O Zé, ao ver-me nesse estado, ficou super assustado e a pensar que eu tinha alguma doença, por isso tive de me controlar e expliquei-lhe todo este episódio. No final, para me irritar ainda mais, ele sugeriu que eu começasse a tomar a nova pílula e desse uma segunda hipótese a esta ginecologista. Há coisas que os homens não percebem mesmo, não é?

Bem, de facto eu comecei a tomar a pílula que ela me receitou, mas pouca coisa mudou (na verdade até suspeito que ela me faz borbulhas, coisa que a outra não fazia). Já devia ter voltado à consulta no passado mês de março, para falar da experiência com a nova pílula, e não o fiz. Estou determinada a consultar outra/o ginecologista, mesmo sabendo que não é aconselhado andar a saltar de médico em médico.

Esta consulta atormentou-me nos dias seguintes. Questionei-me qual seria o problema: se era a ginecologista ter mais de 50 anos (ainda que aparentasse ser uma mulher moderna), se foi o facto de eu a ter confrontado e questionado (eu não acredito nessa coisa de 'ter muito respeitinho' só porque a pessoa tem um doutoramento!), se eu realmente estava mal informada, e estou condenada a viver com os efeitos secundários da pílula até ao fim de minha vida e a jamais largar os pensos e os tampões. Até hoje não tenho respostas, mas sei de uma coisa: temos o direito de procurar sempre uma segunda opinião médica! Além de outras razões, é assim que descobrimos coisas que estão erradas connosco, e que os médicos que consultámos simplesmente ignoraram.

Nunca me tinha acontecido nada assim numa ida ao médico! Há formas e formas de abordar as questões e, para esta ginecologista, a pílula é o Santo Graal da contracepção, e o copo menstrual não passa de uma moda tola e irresponsável. Então e tudo o que eu li (na internet, ui!) durante meses a fio, para formular a minha opinião? É tudo fruto de gente que escreve sobre o que não sabe? E as pessoas com quem falei e que me deram a conhecer a sua experiência pessoal, será que elas também não sabem o que estão a dizer? Não me conformo e, se vocês se reviram nesta situação, acho que deviam fazer o mesmo, sobretudo quando se trata da nossa saúde e de coisas que algo nos diz que não estão bem.

Posts relacionados

29 comentários

  1. Olá Sara, consigo compreender o que dizes e parece-me razoável que tenhas saído de lá furiosa. Quanto ao copo menstrual não te posso ajudar porque não tenho conhecimento dos estudos e dos trabalhos que dizem a sua facilidade de utilização e riscos, sinceramente foi algo que não me despertou a atenção.
    Depois quanto à contracepção existem múltiplas outras opções, tens sempre a hipótese de ir ao teu médico de família. Além da pílula convencional (apesar de haverem múltiplas e dosagens diferentes, dupla, tripla, só com progestativo, combinada (estrogénio e progestativo) tens outras opções além dos métodos de barreira que muitas mulheres acabam por não utilizar quando já têm um parceiro certo pelo desconforto.
    Além destes, agora (muito na moda, já que estas coisas também vai de modas) o anel vaginal, é um método bastante seguro, que se muda de mês a mês (o anel fica introduzido durante 21 dias, retira-se, segue-se a hemorragia de privação, vulgo menstruação, mas que não é uma verdadeira menstruação. O anel é composto por progestativo, mas como é intravaginal os efeitos sistémicos hormonais são bastante diminutos, já que pelo que percebi querias um método que não tivesse uma grande carga hormonal.
    Ainda além do anel, tens os adesivos que são de libertação prolongada.
    Para um método de longa duração cerca de 3 anos tens ainda o implante (cujo nome comercial é o Implanon), têm também progestativo de libertação prolongada, muitas mulheres referem que aumentam de peso, efectivamente é um efeito adverso que está descrito, contudo para mulheres jovens que tenham cuidado com alimentação e exercício físico é muito pouco verificado. É introduzido no braço subcutâneo, dói pouco e é de colocação rápida. Ao fim dos 3 anos faz-se uma incisão e retira-se.
    Existem ainda outras opções mas penso que estas serão as mais importantes para o teu caso :)
    Para mais dúvidas existe um site muito bom desenhado pela sociedade portuguesa de contracepção, formada por ginecologias-obstetras mais conhecedores que facilmente te retiraram as tuas dúvidas. Visita! http://www.contracecao.pt/PT/Home

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bárbara. Apesar de testamento, fico muito contente por teres partilhado os teus conhecimentos aqui, fiquei muito esclarecida!
      A ginecologista falou de todos esses métodos: em relação ao adesivo e implante disse que libertavam mais hormonas que a pílula, e em relação ao anel vaginal já não me lembro bem o que disse, mas também não foi nada de positivo já que, para ela, a pílula é o melhor de todos - e eu nem sabia que haviam essas todas!
      A razão principal por que eu queria parar com a pílula é que antes, durante e depois do período tenho surgem vários efeitos secundários que eu queria perceber se são do meu próprio organismo ou gerados por ela. Estive sem tomar a pílula 3 meses, mas foi pouco para tirar conclusões, além disso a menstruação foi muito irregular e isso é uma chatice...
      Obrigada pela ajuda! :)

      Eliminar
    2. posso estar errada mas a libertação hormonal e do anel não tenho conhecimento de que seja maior... o anel dá te regularidade "menstrual" e podes sempre tentar, ele é gratuito no centro de saúde, mas era bom teres primeiro uma consulta. Podes não ter "à vontade" com o teu médico de família, mas para contracepção eles estão muito habilitados e uma vez que não precisas de ser observada agora podes marcar uma consulta de planeamento e resolves essa questão.

      Eliminar
    3. obrigada pelas dicas, Bárbara :)
      não tenho muito hábito recorrer ao médico de família, ainda para mais agora nem o conheço bem, mas vou pensar nisso :)

      Eliminar
  2. Ps.: desculpa o testamento se achares por bem depois podes apagar ;) beijinho

    ResponderEliminar
  3. Muda de Ginecologista, o meu conselho é um Homem! nunca encontrei mulheres ginecologistas boas da cabeça, tÊm todas a mania que elas é que sabem tudo... os Homens tratam-nos como objeto de estudo quase, é diferente. Adoro o meu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a minha mãe dá-me o mesmo conselho, e acho que desta vez vou arriscar! já tive consultas com 3 ginecologistas mulheres, e só houve uma que me agradou mais (foi com quem fiz a primeira consulta de sempre). obrigada pelo conselho! :)
      beijinhos

      Eliminar
  4. Oh valha-me Deus!!!! Já apanhei um dinossauro destes!!! Devem ter tirado o curso no mesmo esgoto .Essa da net , parece que a maioria teem medo da concorrência virtual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para ela as fontes seguras, além de falar com médicos pessoalmente, são somente as revistas de especialidade, cheias de termos que ninguém consegue interpretar. Supostamente os médicos que escrevem para revistas e etc estão a ser pagos para dizer o que dizem -.-

      Eliminar
  5. E nesse sermão todo que ela te passou, não te falou das contra-indicações todas que a pílula tem? Eu tinha enxaquecas durante 3 dias específicos do mês...entre outras coisas que já deves ter lido sobre o assunto. Tens todo o direito de procurar outra opinião, uma vez que nós somos os responsáveis pela nossa saúde. Além de que tens de te sentir confortável para discutir todo o tipo de dúvidas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como te entendo nisso das enxaquecas! é por essas e por outras que queria largar a pílula...

      Eliminar
  6. Eu nunca fui a uma ginecologista privada, sempre fui aconselhada no centro de saude e sempre fui muito bem tratada, a ultima vez até foi um médido (claro que acompanhado por uma enfermeira) e foi 5 estrelas. Pos-me logo a vontade, e eu ia tão nervosa, por ser um homem.

    Quanto ao copo menstrual não te posso ajudar, pois de momento não tomo nenhum anticontraceptivo. Tive que deixar a pipula, por motivos de pessoais e descontrolo hormonal, para fazer umas analises e desde então não tomo mais nada, a não ser ter mais cuidado para não engravidar. Como eu e o meu namorado não gostamos muito do preservativo, fazemos sem ele por vezes. Mas caso engravide, também não é problema, pois vivemos juntos, mas temos sempre cuidado.
    Já agora eu deixei de tomar a pilula desde Janeiro, e tenho-me sentido melhor. Emagreci uns quilinhos, o que prova o descontrolo hormonal que tinha, e não me sinto tão nervosa ou com stress.

    Desculpa lá o testamento! :D
    Beijinho,
    http://bloguerosapt.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fui habituada a ir à ginecologista falar destas questões mais específicas e tinha-me dado bem, até conhecer esta :p
      Já fui aconselhada por várias pessoas a consultar um homem, e acho que desta vez vou tentar!

      Eu, mesmo vivendo com o meu namorado, não quero arriscar tanto porque um bebé agora não vinha nada a calhar! Fiquei contente por saber que te deste bem sem a pílula, é realmente uma prova de que ela não é assim tão maravilhosa para o nosso bem-estar :p

      Obrigada pelo teu testemunho! :)

      Eliminar
  7. Bem, antes de tudo se fosse a ti mudava mesmo de ginecologista. Acho que é super importante sentirmo-nos à vontade com os nossos médicos, e claramente isso não vai acontecer com essa senhora...

    Não te posso ajudar em nenhum desses aspectos, porque tomo a pílula e não uso o copo menstrual, mas acho que os médicos também servem para esclarecer as nossas dúvidas e para nos explicar o porquê de certas coisas serem melhor ou pior para nós, mas sempre com respeito por nós e pelas nossas opiniões! Achei completamente descabida a postura dessa médica...

    Espero sinceramente que encontres rapidamente alguma outra médica ou médico com quem te sintas melhor. (P.S. - A minha por acaso é uma mulher e adoro-a! ;) )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, deve haver muita gente a gostar das consultas daquela médica, mas eu não sou uma delas, e dificilmente a imagino a acompanhar-me nos próximos anos, com gravidezes incluídas...
      Acho que és a primeira pessoa que "ouço" dizer que adora a sua ginecologista :p mas ainda bem! :)

      Eliminar
    2. Sei que não é o normal, mas como ela me deixa tão à vontade para ligar a esclarecer qualquer dúvida, seja que dia for... Enfim, é provavelmente a melhor médica que tenho! ;)

      Eliminar
  8. Olá!!
    Em relação ao copo menstrual já uso há um ano e adoro. Nunca lidei tão bem com a menstruação como agora, acredita. Tenho incentivado todas as mulheres à minha volta com isso pq acho sinceramente que já não faz sentido usar outros métodos se podemos ter opções mais higiénicas e duradouras.

    Se quiseres mais informações sobre isso, posso dar-te a ajuda que precisares ;)
    Se calhar em privado é melhor, por isso fica com o meu e-mail : carina.mlf@hotmail.com
    ou Facebook: https://www.facebook.com/carina.ferreira.395669

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ler que nunca te deste tão bem com a menstruação como agora é mesmo um sonho! ahahah
      Eu também acho uma solução bem melhor a todos os níveis, apenas queria procurar uma opinião médica, já que já diz questão de me informar inclusivamente com uma pessoa que vende copos menstruais. de qualquer forma agradeço a tua disponibilidade, vou fixar os teus contactos para quando me surgir alguma dúvida! :)
      beijinhos

      Eliminar
    2. sim, é mesmo verdade!
      Deixas de sentir aquela repulsa (nojo talvez seja muito forte xD) e acabam-se as preocupações de estares suja nas calças ou de não teres uma casa de banho perto nas próximas horas.
      Compra, a sério, é o único conselho que te posso dar! Eu nunca tinha usado tampões na vida, e dei-me logo super bem e confortável com aquilo.

      Eliminar
  9. Não te posso ajudar sobre o copo menstrual e também eu estou intrigada sobre esse assunto sem saber se é ou não uma moda.
    Eu nunca fui a um ginecologista e comecei a tomar a pílula devido a uma depressão e ter o risco de perder a menstruação. Pelo que percebi na altura o médico receitou-me uma forte pois havia esse risco, mais tarde continuei com a mesma devido a problemas de acne. Entretanto mudaram-me para uma médica de família muito nova que me indicou as consultas de planeamento. Tem sido ela a fazer todos os exames e trocou a minha pílula por uma mais fraca pois já não havia risco de perder a menstruação e o acne já estava controlado. Perguntou se eu queria usar outro método contracetivo e explicou-me alguns, só não me explicou mais aprofundadamente pois eu queria manter a pílula. Ela é ótima, sempre preocupada, faz mil e uma perguntas sobre tudo e nunca tive um médico assim, nem mesmo do privado. Sei que um dia mais tarde deverei contactar com uma ginecologista, mas por enquanto esta médica de família é maravilhosa e chega para manter tudo controlado :) O conselho que te posso dar é experimentares fazer uma consulta de planeamento familiar. podes não ter a mesma sorte que eu tive, mas ao menos tentaste :)
    Desculpa o testamento! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já tive uma consulta de planeamento familiar, mas foi apenas para me passarem uma receita para a pílula :p e aqui onde vivo o sistema de saúde é um caos, por isso acabo sempre por marcar nas especialidades!
      não te importes com o testamento, eu gosto de comentários assim! :D ainda bem que te dás bem com a tua médica, assim estás mais à vontade para qualquer tipo de questões :)

      beijinhos

      Eliminar
  10. Eu tinha o mesmo problema com a pílula, além de não gostar de tomar comprimidos, não gostei de como o meu corpo reagia à Pílula. Quando marquei consulta no Centro de Saúde para ver a questão da Pílula ela sugeriu que usasse o implante no braço.

    Já estou à quase 6 meses com o implante ao inicio foi muito estranho, mas agora não poderia estar mais satisfeita. Além de poder evitar esquecimentos como no caso da pílula, fiquei sem menstruação. Eu tinha dores insuportáveis quando estava menstruada. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acredita que conheço esse drama das dores -.- ainda tenho, mas já não é nada comparável ao que tinha antes de tomar a pílula!
      já isso de ficar sem menstruação preocupa-me um pouco, por ser contranatura :s
      tenho mesmo de procurar alguém que me esclareça melhor sobre as outras alternativas, porque não sei qual a melhor para o meu caso :s obrigada pelo teu testemunho! :)

      Eliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. Primeiro - a ginecologista: não entres por esse caminho misógino de achar que as mulheres são piores profissionais do que os homens. Eu tenho uma ginecologista e gosto muito dela, é profissional, simpática (sem cair no ridículo de acabar todas as palavras em "inho" para me pôr mais à vontade), competente, etc. Não te dou o contacto dela porque é em Leiria e sei que queres uma mais perto de onde vives. Por isso, muda de ginecologista e não te preocupes se é homem ou mulher ;-)

    Segundo - o copo menstrual: uso o meu há quase dois anos e adoro! Tenho pena de não ter descoberto mais cedo o que era um copo menstrual. Comprei o meu numa loja que fica numa rua transversal à Praça Rodrigues Lobo, em Leiria, mas também há à venda no Celeiro e na Wells do Continente.
    É uma questão de te informares na loja, porque há vários tamanhos e a escolha depende de vários fatores (se tens menos ou mais de 30 anos, se tiveste um parto vaginal, se tens pouco ou muito fluxo, etc.). São perfeitamente seguros (caso contrário não se vendiam nestas lojas...), duram cerca de 10 anos (faz as contas ao que vais poupar), são muito fáceis de usar (a primeira colocação e remoção são sempre mais complicadas, mas depois habituas-te).

    A manutenção deles é muito fácil: quando compras, é aconselhável colocares o copo em água a ferver durante 3 minutos (para limpar). Depois, quando precisares de usar, basta, antes de colocar o copo, lavá-lo com um sabonete neutro (por exemplo, gel íntimo) por causa do pH da vagina (por isso, nunca laves com gel duche, champô, detergente da loiça, sabonete líquido, etc.). Quando acabar a menstruação, voltas a colocar o copo em água a ferver durante 3 minutos (isto evita as manchas).

    A utilização: de manhã, quando acordo, tiro o copo, despejo-o e lavo-o com gel íntimo. Coloco-o e, na maior parte dos meses, só volto a tirá-lo à noite, antes de me deitar. A rotina é a mesma, tiro o copo, despejo-o e lavo-o com gel íntimo.
    Durante o dia, se tiver que o despejar e não estiver em casa (há meses em que o fluxo é mais intenso), basta passá-lo por água (mais uma vez, nunca laves com sabonete líquido das mãos, etc.).

    Claro que cada marca tem as suas especificidades ;-)

    Se tiveres (ou alguma das pessoas que comentam o teu blog) alguma dúvida, é só dizeres!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PEGGY SUE, porque é que não apareceste mais cedo? :D

      Eu agradecia que me desses o contacto da tua ginecologista porque, apesar de eu viver no concelho de Alcobaça, trabalho em Leiria e estudei cá, não acho nada longe! :)

      Quanto a essa loja transversal à praça, tenho quase a certeza que é onde estive a falar sobre o copo menstrual! :p esclareci tudo com essa senhora, que sabe do que fala, para depois ir ter com aquela ginecologista ouvir o que ouvi, enfim -.-

      Agradeço o teu comentário, tenho a certeza que irá ajudar a alguém que aqui venha parar ao post :)

      Beijinhos
      (podes enviar-me email para sara.aa.silva@gmail.com ou mensagem no face para a página do blog)

      Eliminar
    2. ;-) Obrigada!

      A minha ginecologista é a Dr.ª Isabel Duarte, da clínica Medeia (http://www.medeia.pt/contactos.asp), que fica ao pé do C.C Maringá.
      Também costumo ir a consultas de planeamento familiar (com a minha médica de família) no centro de saúde e consigo sempre consulta facilmente (as consultas de planeamento familiar são às terças-feiras).


      A loja onde comprei o copo menstrual chama-se Loja Sensual e fica na rua do Porto Artur e Restaurante Alcoa. Tal como tu, eu estive algum tempo à conversa com a dona da loja e fiz todas as perguntas que tinha para fazer e ela respondeu sempre com todo o gosto. Fiquei muito satisfeita com a minha compra :-)

      Boa sorte!

      Eliminar
    3. Muito obrigada!
      É sempre melhor quando temos boas referência de um médio. Quando tiver de marcar consulta, vou tentar com ela :)

      Foi nessa loja mesmo (não me lembrava do nome)! Ela foi super atenciosa por isso sei que, quando decidir comprar o copo, vai ser através dela. Obrigada mais uma vez :)

      Beijinhos!

      Eliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}