viagem | Férias em Lozère, França - parte 3

22.2.16 SARA SILVA 9 Comments


~ ver a parte 1 e a parte 2 ~

É com algum embaraço que, quase um ano depois, vos trago a última parte do registo fotográfico das minhas férias em Lozère. À medida que o tempo passava, mais parecia escusado publicar as fotos, mas hoje olhei para elas com mais atenção e percebi que não podia deixar de as partilhar convosco!

Assim sendo mostro-vos neste post o roteiro do 3º e 4º dias. Estes foram os últimos e os meus preferidos, porque visitámos sítios ainda mais incríveis: vimos o Viaduto de Millau, passeámos de carro pelo desfiladeiro Gorges du Tarn, parámos em Saint-Enimie, estivemos em Mende e explorámos Le Puy-en-Velay e os seus vários monumentos religiosos. 

Por serem tantas fotografias, pensei em fazer um post para os dias em separado, mas seria um exagero. Assim sendo, espremi ao máximo o que tenho, e mostro-vos tudo neste post. Preparem-se para a avalanche!

Dia 3


Na manhã do dia 18 de abril de 2015 começámos por ir ver o viaduto de Millau, inaugurado em 2004. É a maior pista suportada por cabos no mundo, com quase 2,4 km de extensão e 32 m de altura (facto curioso: a Torre Eiffel quase cabe por baixo do pilar mais alto). O viaduto tem uma espécie de posto de turismo, que também visitámos nesse momento.

Seguimos caminho em direcção ao desfiladeiro Gorges-du-Tarn, fazendo algumas paragens para ver a paisagem, tirar fotografias e fazer um piquenique à portuguesa, com sandes trazidas de casa!


Ao longo deste percurso pudemos ver e passar por algumas aldeias isoladas e rochedos (esta região francesa é conhecida sobretudo por ter bastantes pedras e pedregulhos!). Parámos na vila de La Malene e, depois, subimos em direcção ao miradouro do Gorges-du-Tarn, de onde a vista é de cortar a respiração, por ser tão imensa e natural!


Depois de percorridos mais alguns quilómetros, a paragem seguinte foi em Sainte-Enimie. Tenho a dizer que adorei de paixão esta aldeia! O meu pai disse-me que é um destino de férias de verão para muitos reformados franceses, e eu percebo porquê: é pequenina mas super pitoresca, rústica e medieval, a combinar na perfeição com o envolvente, calma e rodeada pelo rio Tarn. Senti-me mesmo bem lá (sobretudo porque o tempo estava incrível, parecia verão), e fiquei com muita vontade de passar lá uma boa parte da minha reforma também, ahahah

lá ao fundo, o meu pai e a minha madrasta, os nossos guias-turísticos

O passeio deste dia terminou em Mende, a cidade onde o meu pai viveu durante o seu primeiro ano em que esteve emigrado em França. Não explorámos muito porque já não nos restava muito tempo até anoitecer: apenas fomos ao miradouro e passeámos um pouco pelo centro.

vista panorâmica da cidade de Mende
em destaque a Catedral de Mende

Dia 4

O dia seguinte também começou bem cedo, porque estava previsto uma viagem de quase 90 km em direcção a Le Puy-en-Velay (ou apenas Le Puy), que não pertence ao departamento de Lozère (região administrativa de Auvergne), mas sim de Haute-Loire (região administrativa de Languedoc-Roussillon) - isto para vos situar no espaço.

Le Puy é uma comuna francesa conhecida pelos seus muitos monumentos religiosos e por daí partir um dos Caminhos de Santiago, o Via Podiensis. A imagem mais característica desta "cidade" é a vista panorâmica com os três principais monumentos:

à esquerda a capela de Saint Michel d'Aiguilhe, ao centro a Estátua de Notre Dame de França e à direita a Catedral de Notre-Dame-du-Puy
Começo pela capela de Saint Michel d'Aiguilhe: foi erguida no ano de 962 sobre um antigo vulcão, a 82 metros de altura do chão. Não é incrível?! Para chegar lá a cima temos de subir 268 degraus, e o esforço é compensado com uma vista incrível e a entrada na capela (que é bem pequena e antiga).

a vista a partir da capela
Em relação à estátua de Notre Dame de França, só a vimos de longe porque achámos que não valia a pena pagar a entrada. De qualquer forma acrescento que fica a 757 metros de altitude, mede 16 metros e é totalmente feita de ferro fundido de antigos canhões. 


Percorremos as ruazinhas pitorescas do Le Puy até irmos dar à Catedral de Notre-Dame-du-Puy. Adorei visitá-la pela sua imensidão e por ser um símbolo de fé tão importante: é nela que começa a Via Podiensis do Caminho de Santiago. Lá dentro havia vários peregrinos a cumprirem os seus rituais de peregrinação (que eu não consigo especificar), a rezar e a pedir desejos.


No Le Puy ainda visitámos mais algumas atracções, como o claustro da Catedral e o Santuário de São José, mas sobretudo andámos a pé nas ruelas, a apreciar a vista e as características da "cidade". Contive-me de vos mostrar as fotografias, porque acho que já devem estar fartas! ☺


E assim terminaram os nossos 4 dias de férias em Lozère (com a escapadinha a Haute-Loire)! Posso dizer-vos que voltámos a Portugal e ao trabalho mais cansados do que quando fomos, mas orgulhosos e agradecidos de termos podido visitar tantos lugares incríveis! Tal não seria possível sem a ajuda do meu pai e da minha madrasta, que prepararam todo o roteiro e nos guiaram de forma incansável.

Fiquei com muita vontade de voltar, mas para conhecer outras regiões de França, agora que percebi que é um país tão rico e com muito mais para conhecer além da capital! ☺

Posts relacionados

9 comentários:

Ana S. disse...

Não conhecia essa cidade! Literalmente, nunca tinha ouvido falar! E que encantadora, que bonita! Também tenho imensa curiosidade em conhecer França, particularmente o Sul e a Bretanha Francesa. Ainda só conheço Paris! Opa que cidade mais bonita, já não me vou esquecer dela.

SARA SILVA disse...

não percebi a que cidade te referes, é a Le Puy? :)
também tenho vontade de visitar França mais a sul!
beijinhos

É verdade que as viagens nos cansam imenso, mas vale meeeeeeeeeesmo a pena, não é? Obrigado por nos teres levado a viajar connosco com todas estas imagens! :3

Sara com R disse...

Uau!!! Não conhecia este trajecto e fiquei fã! Ia para lá neste momento!!!

Oh Sara ainda bem que achaste que fazia sentido, porque sem dúvida nós é que ganhamos com estas fotografias de paisagens lindas ... :) é mesmo verdade que há sempre tantos espaços tão bonitos mesmo que não sejam em cidades emblemáticas.. Obrigado ;) beijinho

SARA SILVA disse...

sim, apesar de tudo valem sempre a pena! :)
de nada, obrigada eu :D
beijinhos

SARA SILVA disse...

eu fiquei encantada, voltaria com todo o gosto :D
beijinhos

SARA SILVA disse...

oh, obrigada pelo seu comentário, Bárbara! :)
às vezes esquecemo-nos que fora dos principais destinos também há lugares incríveis para explorar! :)
beijinhos

Daniela disse...

Parecem ser sítios lindíssimos, nada da típica França que costumamos ver (falo por mim). Não sou toda fã da França, mas estas imagens deixaram-me uma nova impressão desse país e acho que trocaria uma visita pelas conhecidas cidades francesas, por estas terras menos conhecidas :)
Beijinho

http://fashionunderconstruction.blogspot.pt/

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}