pessoal | Hoje sonhei que estava grávida

22.1.16 SARA SILVA 6 Comments


Hoje sonhei que estava grávida. Não é nada que me surpreenda, já que os meus sonhos reflectem sempre as minhas preocupações do dia-a-dia (é como se o meu subconsciente armazenasse a informação para me atormentar à noite, quando estou a dormir - obrigadinha subconsciente). 

O que acontece é que, de repente, dou por mim rodeada de pessoas com idades próximas à minha que tiveram bebés há pouco tempo, ou que vão ter em breve. Este tipo de situações deixa-me a pensar, ainda para mais quando algumas delas e outras se viram para mim e incentivam: "Vá, agora faltas tu!". Como assim, falto eu?! Isto é uma corrida? Alguém está à espera que eu engravide para seguir com a sua vida? Depois de ir viver juntos, é suposto ter bebés pouco tempo depois? Onde fica a estabilidade financeira e, talvez mais importante que isso, a vontade de ser mãe?

Essas pessoas podem procurar um lugar bem confortável para se sentar, porque não está nos meus planos engravidar tão cedo. Primeiro, o meu relógio biológico ainda está congelado e não me imagino como mamã (ou melhor, quando me imagino é como uma daquelas sem paciência que, perante o bebé a chorar, não sabe se fuja se chame alguém); depois há muitas outras coisas para orientar antes de preparar a chegada de um filho. 

"Ah, mas antigamente tudo se criava!". Este é um dos meus argumentos preferidos, vindos das pessoas mais velhas. Sim, antigamente tudo se criava: levavam-se os filhos para o campo, eles sempre se entretiam a fazer alguma coisa, chegando a adolescência iam trabalhar, e não havia cá necessidade de lhes comprar computador, telemóveis, roupas novas quase todos os meses e de lhes pagar os estudos até à universidade. Não estou a dizer que antigamente era fácil, porque sei as dificuldades que existiam, mas hoje em dia um filho sai caro e há que planear bem as coisas.

Mas bem, também sei que também não adianta estar para aqui muito determinada a dizer "Eu não vou ter filhos tão cedo!", porque os imprevistos acontecem. E, se acontecerem, não está nos meus planos ignorá-los porque, honestamente, tenho mais condições de criar um filho do que muitas pessoas que os têm sem saberem se têm o que comer amanhã. Se acontecer, teremos de orientar as coisas mais depressa do que o previsto, e tudo se há-de resolver. Mas ainda assim... não está nos meus planos.

Posts relacionados

6 comentários:

Daniela disse...

Mommy Sara, ahaha. As pessoas tem sempre que opinar sobre alguma coisa e de alguma maneira. Esse argumento do "tudo se cria" não deixa de ser verdade, mas há maneiras e maneiras de criar e concordo plenamente com o que tudo o que disseste.

Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

Um filho é uma responsabilidade muito grande, e como disseste, se calhar até tens mais possibilidades económicas de ter uma criança do que muitas pessoas que as têm - é preciso pensar bem e planear o futuro, para dar a essa criança, um futuro TOP!!! eheh
Um beijinho grande, linda! :)
________________________
www.focusonmeblog.com

Ana S. disse...

Eu também detesto essas comparações. Eu quero ter filhos, quero mesmo, mas daqui a muito tempo. Há coisas que quero fazer antes, como alcançar verdadeira estabilidade financeira, aproveitar a minha independência, conhecer sítios, enfim, uma série de coisas que não têm de ser postas em causa, que são completamente legítimas. São as minhas escolhas e sinceramente acho que vou criar bem melhor os meus filhos se não tiver pressas. Portanto estou completamente do teu lado nisto! :)

http://aondenaoestou.blogspot.pt/

Mellucia disse...

Eu não tinha planos para ter uma filha mas aconteceu e hoje não seu como viveria sem ela. Concordo plenamente com seu pensamento, as pessoas gostam de comparar de impor mas nada melhor que um planejamento, depois disso vem a parte que nunca jamais estaremos preparada que é de fato ser mãe, essa é a parte mais difícil mas também muito prazerosa. Voltamos a ser criança e olhar o mundo com olhar delas, com menos pressa e por fim tem dias que nos perguntamos porque adiamos tanto ou porque nunca pensamos em ter uma criança em casa, é muito BOM. MAS eu repito é bem complicado ser mãe e só saberemos como ser, sendo :) ...

Isso já me aconteceu por diversas vezes, esses sonhos do maligno!!
Deteeeeeesto. E o "Ele" cá do sítio ainda se atreve a gozar, como se fosse uma questão de brincadeiras e não de assuntos gravíssimos. Sim, porque para mim seria super grave se tal acontecesse por tantos motivos que não conseguiria parar de enumerar...
Mas este teu texto deu-me o mote para uma publicação no blogue. Vou ver da situação com o "Ele" para juntarmos palavras que consigam definir o nosso ponto de vista. É que parece crime quando alguém não quer ter filhos. "Nem digas isso em voz alta que é crime. Tantas pessoas que querem ter filhos e não podem" - mas nós temos obrigação de ter filhos por haver pessoas que não podem?!?? Ou então o típico "não digas disparates, diz às pessoas que mais tarde pensas no assunto, não digas que não te vês com crianças que até pode trazer má sorte para quando quiseres ter". Eu nunca digo "nunca" a não ser nesta frase. Mas se acho fundamental na minha existência ter filhos? Muito longe disso!! Não sinto falta nenhuma. Vivia muito bem a minha vida sem esse lado maternal. Por muito que custe a acreditar, os meus animais são meus irmãos, ou meus filhos, são as minhas crianças. Não sinto grande falta... E ainda o sinto menos quando vou ao supermercado e vejo as birras catastróficas que dá vontade de esmurrar sem parar os pais que não sabem assumir as suas funções. Piora ainda mais quando sou eu no atendimento e tenho que aturar as birras dessas crianças que são como senão tivessem pais. Mais vale deixar de existir esse preconceito, porque é só insistir e fazer com que as pessoas se sintam na obrigação de meterem crianças ao mundo...
_Ela.

Mundos Mudos disse...

Já me aconteceu o mesmo por duas vezes recentemente! Não sei como foi contigo, mas comigo foi assustador, sentia o bebé a mexer-se dentro de mim.. PÂNICO!!!! Concordo a 200% com o teu texto, estes sonhos reflectem os nossos medos e ânsias (também tenho o relógio biológico congelado) e o facto de estarmos a começar a sentir a pressão da idade!

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}