reflexão | A crise é psicológica

6.1.14 SARA SILVA 9 Comments

Eu já evito usar a palavra crise. Nos últimos anos tem-se tornado uma desculpa para tudo o que acontece, usada para exagerar factos e, inevitavelmente, para muitas pessoas se vitimizarem. Não digo que não haja pessoas a viver realmente mal, mas a pobreza já existia antes da dita "crise" e na grande maioria das vezes não temos forma de saber até que ponto é que as pessoas vivem tão mal quanto dizem.

Estas minhas afirmações parecem frias e dignas de alguém que tem fechado os olhos à actualidade, podem pensar algumas de vocês. E em parte até é verdade: sim, eu prefiro esquecer que o país está em "crise" que viver amargurada no meu dia-a-dia. Simplesmente convenço-me de que não posso ter grandes luxos porque o meu ordenado não dá para isso, e não ando por aí a lamentar-me pelos cantos que é a "crise" que me faz viver assim. 

Mas passemos a factos concretos, os que me inspiraram a dar o título a este post. 
Neste fim-de-semana a loja onde trabalho esteve com promoções. Estando nós no início de Janeiro eu, na minha ingenuidade, pensei: "Bem, não deve aparecer assim tanta gente, porque à partida gastaram o dinheiro todo na ceia de Natal e Ano Novo e nas prendas". Ingenuidade mesmo, porque as pessoas têm uma capacidade incrível de surpreender: a loja esteve a abarrotar, principalmente ontem, quase não se conseguia andar lá dentro, vários artigos esgotaram, foi decididamente pior que nos dias antes do Natal. E em termos de números, desta vez foram quase 6x mais os valores de vendas habituais em apenas dois dias! E os clientes bem perguntavam "Afinal, onde é que está a crise?". Pois, deve andar muito bem escondida...

É certo que cada um faz o que quer ao dinheiro que tem e não tem (muitas das vendas foram feitas a crédito), mas deu para ver claramente que as pessoas continuam a comprar por impulso. O que vendemos naquela loja não são de todo produtos de primeira necessidade, e muitos clientes aproveitaram a oportunidade para comprar coisas em troca de um desconto mínimo face ao que estavam a gastar. E agora algumas de vocês devem estar a pensar: "Pode ser pouco mas é dinheiro!". Claro, mas uma pessoa que vai comprar um artigo de 100€ que não lhe faz assim tanta falta só para obter um desconto que nem sequer é directo, depressa percebe que o gasto não compensou, pois terá de voltar para fazer uma nova compra se quiser usufruir do valor do desconto. E não, nem todos compraram coisas porque o desconto lhes ia dar jeito: muitos deles, na caixa, ficavam a olhar para o valor e a questionar o/a companheiro/a: "Então e vamos gastar isto em quê?", e ele/ela respondia "Não sei, logo se vê!".

E exemplos destes cada um de nós vemos no nosso dia-a-dia, quando ouvimos a vizinha a lamentar-se de que isto está mau para todos e dias depois aparece a conduzir um BMW novinho acabado de sair do stand; ou quando o primo diz que a vida está difícil e semanas depois sabemos que foi passar 2 semanas de férias a Punta Cana, entre muitos outros exemplos.
E não, isto não é inveja, é simplesmente a minha incredulidade pela dita crise e vontade de calar muita gente que tanto se vitimiza sem ter razões para isso.

Posts relacionados

9 comentários:

Como compreendo a tua incredibilidade... é mesmo verdade o que dizes a crise não é para quem diz que há crise é para quem a sente e muitos que a sentem sentem porque não souberam aproveitaram o que tinham ou tiveram no chamado "tempo das vacas gordas" e outros quem realmente eu tenho pena que por mais que se esforcem realmente não conseguiram. Pode parecer frieza da minha parte mas cada vez mais me apercebo que as pessoas não têm noção das coisas e só sabem criticar "sem dizer nada" do governo... mas se calhar olhar no espelho fazia bem... sei que a crise esta a afectar muita gente mas não é por acaso que há outras pessoas que se conseguem manter....

Daniee disse...

Quanto a isso a minha opinião é simples, as pessoas não se souberam gerir nem contaram com imprevistos e por isso acabaram por ser apanhadas na crise. E essas pessoas têm má gestão antes da crise, na crise no pós crise. Obviamente existem pessoas com problemas de vida muito dificeis e que se vêem em situações que nem com muitas poupanças se salvam, qualquer um pode errar e o desemprego pode apanhar todos. Mas pronto, acho que no geral as pessoas não conseguem fugir ao instinto de comprar sem precisar, especialmente para parecer mais que o vizinho. Eu pessoalmente conhecia uma família só com mercedes, roupas para cima de 100euros, uma casa nova, férias no estrangeiro e quando la fui a casa não havia pão, não havia pasta dos dentes... Enfim, concordo em tudo contigo Sara. Acho que o próprio país está assim porque toda gente, incluindo os governantes só pensam no bem pessoal e não no da comunidade, e falta de investimento em sectores como educação e cultura, isso sim é crise e deixa-nos cada vez mais pobres e cada vez menos capazes de vencer na vida!


epáaa, se calhar escrevi muito.xD

beijinhos

Concordo e infelizmente observo o mesmo. Bjinhos

Susie disse...

As pessoas quando vêem promoções parece que perdem a noção da realidade credo! Nem pensam no que realmente lhes faz falta ou não. E eu contra mim falo, que muitas vezes só faço compras por achar que determinado artigo está com um bom desconto ahah :p.

Aiii, adorei o teu blog *.* já te estou a seguir, weee!
Obrigada pelos comentários super simpáticos :) é realmente uma coincidência teres estado a fazer Erasmus ao mesmo tempo que eu e na Polónia também! Eu não cheguei a visitar Lodz, mas conheci colegas que estiveram lá de Erasmus.

Um beijinho grande,
Blooming Flowers in July. ✿

Sara Silva disse...

"cada vez mais me apercebo que as pessoas não têm noção das coisas e só sabem criticar "sem dizer nada" do governo" - podes crer! quem vive realmente mal com a crise, não anda por aí a espalhar aos 4 ventos que têm problemas de dinheiro

Sara Silva disse...

não te preocupes, eu gosto quando os vossos comentários têm muito para ler :D
eu também acho que grande parte da crise se deve à necessidade que certas pessoas têm de manter as aparências! também já ouvi falar de famílias assim, e infelizmente devem haver muitas mais...

Sara Silva disse...

sim, é fácil sermos tentadas quando vemos alguma coisa em promoção, principalmente de artigos que queremos muito. no entanto há que pensar racionalmente...

Sara Silva disse...

ooh, muito obrigada querida! fiquei super contente por saber isso porque eu também adorei o teu blog assim que entrei nele :D
pelo que tenho vindo a perceber a Polónia é o destino preferido dos portugueses para fazer Erasmus :)

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}