pessoal | Lidar com um lar temporário - como?

10.11.13 SARA SILVA 12 Comments

Como algumas de vocês sabem, no início deste verão, eu e o meu namorado tomámos a decisão de irmos viver juntos e, devido à razão porque isso aconteceu, tivemos pouco mais de 2 meses para nos focarmos em assuntos sérios como a procura de casa, a compra dos móveis e outras questões relacionadas (dito assim até pareceu fácil!). 

Felizmente a parte da casa não foi a que nos tomou mais tempo porque, devido aos requisitos que tínhamos, as opções eram poucas e a decisão foi tomada rapidamente. Ficámo-nos por uma vivenda geminada arrendada, bastante espaçosa e que agrada aos dois. Eu então, estava delirante: ia ter uma casa completamente nova e vazia para decorar a partir do zero e à minha nossa maneira! As ideias fervilhavam e durante algum tempo não conseguia parar de falar em decoração aqui no blog.

fonte
Hoje, praticamente quatro meses depois, não pus em prática muitos dos planos decorativos que tinha em mente e o tema tornou-se tristemente mais ameno. A razão é simples: a estadia nesta casa é temporária. 
Nós gostamos dela, mas sabemos que não vamos ficar por aqui muito tempo porque temos a hipótese de ir para uma casa à qual podemos realmente chamar nossa até ao fim dos nossos dias, já legalizada, sem termos de pagar renda nem fazer muitas obras (pelo menos enquanto formos apenas dois). Mas esta situação é um impasse porque não conseguimos prever quando essa casa estará disponível: tanto pode ser no ano que vem como daqui a cinco anos.
E eu, que não lido bem com situações temporárias, acabo por ficar frustrada porque sinto que não vale a pena dedicar-me verdadeiramente à casa em que vivemos agora (colocando papel de parede, fazendo furos para pendurar quadros, mandando cortar cortinados à medida destas janelas...) se daqui a algum tempo vamos embora.

Sei que por um lado estou a ser dramática em preocupar-me com este assunto, porque na situação em que nos encontramos já é bastante bom termos conseguido reunir o que faz mais falta numa casa, mas o que é que hei-de fazer? Sempre gostei de decoração e iria sentir-me melhor neste espaço se pudesse pôr em prática as ideias que tive. Só há o inconveniente de não saber se essa satisfação pessoal compensa o esforço, provavelmente em vão, que iria ter se em breve tivéssemos de nos mudar outra vez.

Vocês, que vivem em casa arrendadas, digam-me: sentem o mesmo que eu? O que fariam no meu lugar? Acham que vale a pena investir na decoração? Estou mesmo a precisar de conselhos práticos...

Posts relacionados

12 comentários:

Olá Sara,
O apartamento que habito há 22 anos é arrendado, e infelizmente não consigo pensar como tu, pois decoro e faço furos como se fosse meu, e sei que daqui a uns anos não irei viver lá (espero!), mas é inevitável.

E pensa que muito do que investires neste momento, poderás utilizar na tua casa própria. Portanto não te sintas assim, e decora, decora muito e mostra-nos.

Um beijinho, Joana
www.love-other-drugs.com

Marlène disse...

Olá :)

Vivo sozinha a mais de ano e meio. Ao fim de um ano a viver num agua furtadas decidi mudar até por questão de renda, mas sei que como quero arranjar trabalho na cidade o mais certo será mudar novamente de apartamento. Mas enquanto viver aqui, quero sentir-me bem, quero sentir que este é o meu lar, e também porque sou coquette e gosto quando me dizem que gostam da minha casa. Por isso a nível de decoração não fiz furos, usei imens, e uma fita género postic. Alias tenho dois "paneis" parede, um dos quais do comprimento de uma das paredes da sala e colei com essa tal fita. Assim reutilizo o papel, e na hora de tirar não tenho que pintar. O resto está simples mas acolhedora e a maioria da decoração com coisas que fiz.

Espero ter ajudado, :)
Beijinho

Briana disse...

eu no teu lugar poria em prática os planos de decoração.. mesmo que seja por pouco tempo, mas nesse tempo a satisfação que sentirias valeria a pena.. e claro, essa pode ser um protótipo da outra..nessa podes descobrir que uma técnica de decoração não funciona tão bem e já poderás usar a certa na tua casa mesmo..
E claro, há sempre a possibilidade de ficarem aí mais tempo, e passares esse tempo todo sem sentires bem aí acho que não seria muito bom também

Miss Bad disse...

Oláaa :) Acho que poderias investir um bocadinho aos poucos..começar com tecidos e só depois com tintas e mobilias e furos..
Eu estou numa situação parecida, acabei de me mudar sozinha da vida para o sul do pais e embora a casa seja mais "minha" (casa de famíliares) também acabo por não ter muita liberdade para mudar as coisas como gostaria..
Por exemplo, a mim faz-me muita diferença não ter uma secretária, trabalhar/estudar na mesa da cozinha não é a mesma coisa, mas não posso atafulhar a casa : ) Mas olha, a primeira coisa que comprei para a casa foi uma mini arvore de natal em madeira para montar :D
Grande beijinho, e toca a praticar essa decoração para depois te pedir ajuda :D

thediariesofmissbad.pt

Sara Silva disse...

Olá Joana,
Pois, eu acho que estou assim hesitante porque é a primeira vez que estou a viver numa casa arrendada. Na dos meus pais podia fazer o que queria porque a casa é nossa, mas aqui sinto uma responsabilidade maior porque não quero que o proprietário nos acuse de lhe termos "destruído" a casa.

Mas sim, provavelmente devia ignorar isso e pôr a casa como eu gostaria que ela estivesse. E claro que depois vou mostrando alguma coisa

Obrigada e beijinhos :)

Sara Silva disse...

Deste-me ideias muito giras, Marlène! Acho que vou pensar nelas e como as posso aplicar aqui em casa.
Obrigada! :)
Beijinhos *

Sara Silva disse...

Sim é verdade: posso usar esta casa como um "laboratório" de experiências de decoração!
Obrigada :D
Beijinhos *

Sara Silva disse...

Olá :)
É chato quando estamos limitadas em termos decorativos, quer seja no meu caso ou no teu, mas de certa forma isso até nos faz ser mais criativas para nos adaptarmos à situação :)
Ahahah, este ano não devo comprar decorações de Natal, mas essas árvores pequenas são um amor|
Obrigada! :D
Beijinhos *

Olá Sara!

Eu vivo há cerca de três anos (deste que ingressei no ensino superior) num quarto alugado em que tenho serventia do resto da casa. Na maior parte do tempo dividi/divido a casa com apenas outra colega e como temos uma senhoria bastante acessível temos à vontade para decorar a casa como quisermos, no entanto preferi não investir muito nisso, optando apenas por acrescentar alguns detalhes que acabam por fazer a diferença. Em relação ao quarto e a uma casa-de-banho utilizada só por mim, como são espaços mais pessoais preferi dedicar-me mais e personanizá-lo dentro dos possíveis. No quarto uns cortinados, uma colcha, dois tapetes, alguns objectos nas paredes e outros para decorar a secretária e a mesinha de cabeceira são, para mim, o suficiente para me sentir muito confortável neste espaço, sinto-me realmente em casa. Na casa de banho optei pelo mesmo método.

A sugestão que te deixo é que invistas em pequenos objectos/pormenores que reflictam a tua personalidade, com os quais te identifiques e que te façam sentir confortável; ao invés de te preocupares em comprar já muita coisa que mais tarde possas já não gostar ou não se adaptar à nova casa. Eu vou comprando uma ou outra coisita de vez em quando, qualquer coisa que naquele momento acho me pode fazer sentir melhor e mais "realizada" :b

Posso até mostrar-te algumas fotografias do meu quarto no 1º ano e agora no 3º ano! Espero ter ajudado!

Um beijinho

Sara Silva disse...

obrigada pelo teu testemunho, Little Miss Sunshine! :)
Pois é, na verdade a diferença está nos detalhes mas muitas vezes acabamos por nos esquecer disso. Eu não tenho comprado muitas coisas de uma vez só também porque preciso de pensar bem se quero aquilo ou se vou só estar a atafulhar a casa, ahahah.
Agradecia muito que me mostrasses as fotografias, eu adoro ver imagens de decoração! :)
Beijinhos *

entendo perfeitamente o que queres dizer. Eu vivo há mais de 3 anos em Coimbra o sítio da minha faculdade. Tenho um quarto só para mim mas a casa não é minha não tem a decoração que eu gostaria nem pouco mais ou menos... Isso acaba por se traduzir no meu quarto também. Apesar de achar que é o meu quarto e ao fim ao cabo passo cá muito mais tempo do que no meu verdadeiro quarto em casa, a verdade é que há sempre coisas que não queria que fossem assim, gostava mais de personalizar o quarto que afinal é meu. Mas não sinto que o seja e às vezes e até pouca motivação tenho para o tornar mais pessoal. No entanto na tua situação a casa é provisoriamente tua, é onde vives sempre, tens de te sentir bem nela, acho que devias apostar em coisas bastante pessoais, nomeadamente quadros ou fotografias que um dia podias retirar dessa casa e levar contigo...

Bárbara Marques
beijinhos

Sara Silva disse...

Eu às vezes também penso como as estudantes a viver longe de casa fazem para tornar o seu espaço mais pessoal. Não será fácil, mas de certeza que fará muita diferença principalmente para tentar minimizar as saudades de casa.
Tens razão, vou começar a pensar em decorações que possa facilmente mudar de sítio e sem danificar paredes :) Obrigada!
Beijinhos *

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}