reflexão | Uma questão de estilo

by - sábado, outubro 05, 2013

Há meses que tenho vindo a sentir-me desconfortável com o meu guarda-roupa. É certo que todas as peças que fazem parte dele foram escolhidas por mim, mas tenho tido a estranha sensação de que o que visto pertence a outra pessoa: já não me identifico com muita da roupa que tenho.

A questão é: eu sempre fui menina de adorar o estilo romântico - laços, folhos, rendas, tons pastel... não me escapavam! (exemplos aquiaqui e aqui- no entanto, tal como eu própria enquanto pessoa tenho vindo a mudar, o mesmo acontece com os meus gostos. E, sinceramente, sinto-me uma verdadeira garota com algumas peças que outrora adorava.

Aceitei isso, mas precisava de algo a que me agarrar para conseguir mudar, um estilo definido com o qual me identificasse mais e pelo qual me pudesse guiar para não voltar a cair no erro de adquirir "peças fofinhas" quando atacada por uma nostalgia fashionista. Faltava saber qual. 
Há quem simplesmente não ligue a estas questões e vista o que o estado de espírito lhe dita nesse dia, e eu também sou um pouco assim, mas sinto necessidade de ter um certo padrão no meu guarda-roupa, algo que seja característico de mim. E, como é claro, folhos e rendas começam lentamente a não fazer parte desse padrão.

Neste tipo de conflitos interiores os blogs de moda, bem como as plataformas de partilhas de looks, são uma grande ajuda. Permitem-nos conhecer inúmeros estilos e formas de conjugar as peças, abrindo a nossa mente e alimentando a nossa imaginação. Só fica mesmo a faltar uma conta bancária recheada, porque de inspirações e ideias facilmente ficamos ricas.

Nos entretantos percebi que há certos aspectos fashionistas que eu sempre adorei, um determinado estilo que eu não conseguia definir qual era, tendo-lhe atribuído o nome-lembrete de "estilo british". Inventado por mim, este nome significa absolutamente nada, servia apenas como um rótulo pessoal para identificar certos looks que via e que não sabia a que estilo correspondiam. 
Recentemente, percebi a que equivale esse "estilo british" que eu tanto aprecia e que, ao contrário do outro, é reconhecido nas pesquisas do google e de plataformas de moda: estilo Preppy.

Este estilo Preppy, explicado resumidamente, é associado a estudantes de colégios particulares e das universidades mais prestigiadas (conceito mais notório nas décadas de 70 e 80). Ou seja, jovens da classe média-alta e alta que personificam a imagem da "betinha" e do "betinho" - basta dar como exemplos a Blair Waldorf e Chuck Bass da série Gossip Girl e está ilustrada a definição.

Mas não me interpretem mal, não quero com isto dizer que pretendo começar a vestir exclusivamente marcas de alta-costura, a ter atenção ao mais ínfimo detalhe da minha aparência e a adoptar uma postura snob - até porque aí sim me ia sentir ainda menos eu própria. O chamado estilo Preppy servirá como base de inspiração para criar algo que eu sinta que faz parte do meu estilo, não só em relação a peças de roupa, calçado e acessórios, mas também enquanto identidade pessoal. 
Isto porque, quando antes me enchia de folhos e rendas, sentia que as pessoas criavam uma imagem diferente de quem realmente sou, e isso deixava-me desconfortável porque eu vestia-me daquela forma simplesmente por gostar, não por ser uma "romântica-incurável" ou "menina ingénua e inocente" - o tipo de estigmas sociais que se criam em torno da aparência de determinada pessoa.

Hoje estou satisfeita com esta minha "viagem de auto-descoberta fashionista", acredito ter resolvido este meu conflito interior. Não é que não conseguisse viver normalmente o meu dia-a-dia, mas incomodava-me em certas alturas tal como uma questão não-resolvida - e eu não gosto de deixar coisas a meio!
Posto isto, posso agora dar início à renovação no meu guarda-roupa, esperando não voltar a sentir-me insatisfeita com o que a roupa me transmite.

E vocês, alguma vez passaram por este tipo de "crise de identidade"?

Posts relacionados

5 comentários

  1. eu com roupa tenho sempre problemas.. adoro o estilo "betinho" mas conseguir encontrar roupa que gostei e que me sirva é uma batalha.. Esquecem-se sempre das pessoas mais pequenas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é sempre complicado conseguirmos encontrar roupas que nos sirvam na perfeição :s

      Eliminar
  2. Eu não acho que tenha propriamente um estilo definido, mas também não anda a variar totalmente com as modas, isto é, não me limito a usar tudo o que está na moda, uso porque gosto/quero. Mas confesso que o meu estilo de base é essencialmente romântico, também gosto muito de inspirações navy... Mas falando por mim eu identifico-me com o estilo que uso e sim acho que isso é importante não tanto pelo material mas também pela mensagem que passamos de nós enquanto pessoas, e obviamente acho que isso é perfeitamente permeável a mudanças.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também não ligo às modas, se as seguir é porque gosto e não por ser moda.
      algumas pessoas podem dizer que isto do estilo é muito superficial, mas eu acho que nos completa enquanto pessoas :)
      beijinhos *

      Eliminar
  3. Eu cá visto o que me dá na telha, mas sou completamente camaleónica. Acabo por ter um roupeiro que não fecha cheio de roupas muito diferentes e às quais acabo por dar sempre uso. Contudo, também estou a passar pela fase em que considero que há aqui muitas peças que já não servem para mim, e tenho de as fazer desaparecer. É algo urgente, já que trouxe tanta roupa que me agrada mais e não tenho sítio para a arrumar.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}