reflexão | Já não há paciência

27.3.13 SARA SILVA 5 Comments

Eu não sei o que se passa mas sei que não sou a única a achar: as pessoas andam impossíveis.
Não digo todas, mas boa parte delas. Provavelmente elas nem dão por isso, mas começam a deixar vir ao de cima o pior de si, quando o ideal é que esses defeitos se mantenham desconhecidos, não perturbem ninguém e não interfiram nas relações.

O facebook: por exemplo, é um bom espelho do que eu me refiro.
Eu tenho um número considerável de "amigos" porque adiciono e aceito toda a gente que, pelo menos, conheça de vista, por isso sempre tive algumas aves raras que, devido ao que dizem e mostram, fazem-me lamentar a humanidade. Quanto a esses, eu fui lá às configurações e fiz com que não voltassem a aparecer no meu feed de notícias, mas o problema é que, dos muitos que restam, boa parte está agora a virar para o mesmo! E eu fico a olhar para essas pessoas a pensar o que é que se passa com esta gente que, de repente, ficou toda louca?! Torna-se impossível estar no face (o que por um lado até é bom): desde publicações infinitas de indirectas detestáveis (que felizmente não são para mim mas incomodam na mesma), a fotografias e vídeos deploráveis dos quais essas pessoas incompreensivelmente se orgulham, a estados dos quais NINGUÉM SER SABER mas essas pessoas não percebem, a ask.fms por todo o lado, a comentários ridículos... enfim, eu bem ando a tirá-los também a eles do meu feed de notícias, porque se continua assim ainda penso que o que eles fazem e dizem é normal, mas por este andar só vai sobrar uma dúzia de "amigos".

E o mesmo se passa na vida real, presencialmente e com mais proximidade do que eu gostaria. Desses casos nem estou a lembrar-me de exemplos (o que até dá jeito), mas guardo bem presente a sensação de que algumas das pessoas à minha volta não conseguem mais esconder o que sentem, o que pensam e o que são (eu sou defensora da frontalidade, mas desde que haja limites), e o que acontece é que passam a ter atitudes e a dizer coisas que me deixam parva e que fazem ficar a pensar mas isto não é normal nela/nele!

Se calhar o problema é que as pessoas deixaram de ter paciência umas para as outras - eu começo a sentir-me assim -, e assim sendo deixam de pensar nas consequências das suas acções simplesmente porque não querem saber: não querem saber do que vão pensar delas e não querem saber do que vai acontecer por causa disso. É como se estivéssemos todos sob pressão dentro de uma cápsula e, devido a essa pressão, o pior de nós acaba por vir ao de cima sem que possamos evitar nem medir as dimensões disso. E isso, apesar de no início criar muita estranheza, desconforto e até alguns conflitos, de certa forma até é melhor, porque é da maneira que cai a máscara que muitas pessoas usam, e passamos a ver quem na realidade são. Isto é, se quisermos realmente ver...

Enfim, enquanto isso vamos tentar não perder todos a cabeça.

Posts relacionados

5 comentários:

Maria disse...

Partilho da mesma opinião. Haja muita paciência :\

Mellucia disse...

Na internet as pessoas se sentem seguras para falar e fazer qualquer bobagem e esquece que a vida dela não é virtual assim como seus amigos ou seguidores. Tudo que falamos e fazemos tem impacto nos nossos relacionamento e quando a pessoa enxerga já é tarde. Estou farta de olhar comentários desastrosos. Exemplo: Por causa de uma música que X pessoa gosta e a outra não. Na internet você descobre coisas a cerca dos "amigos" que as vezes era melhor não saber. Haja paciência mesmo!

Sara Silva disse...

é isso mesmo! as pessoas perderem um bocado a noção das coisas e só percebem as consequências quando já não podem fazer nada...
beijinhos *

Sara Silva disse...

muita mesmo. senão aqui para estes lados alguém vai começar a ouvir coisas que não quer, LOL
mas eu sou uma boa menina e contenho-me :b

Tanya disse...

Concordo, há certas coisas que realmente não entendo o porquê...já cheguei a ver conversas quase de cariz sexual entre namorados no face...

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}