erasmus | Balanço de metade de Erasmus

by - quarta-feira, novembro 28, 2012


Estamos em Novembro. Isto significa que eu já estou a fazer Erasmus há pouco mais de dois meses e, visto que esta experiência de mobilidade acaba em inícios de Fevereiro estou, agora, no período intermédio.


Fazendo um apanhado geral, sem dúvida que esta experiência está a ser enriquecedora, porém não tanto como eu imaginei. Talvez pelo país que é, pelas minhas escolhas ou, simplesmente, porque não se tem proporcionado. 
Falo, por exemplo, das aulas: tendo em conta o nome das disciplinas (TV Workshop, Photography, Organizing of Cultural Events, Contemporary Cinema...), elas sugerem-me muita prática e matéria bem interessante por isso, ao início, fiquei muito entusiasmada também porque no meu curso em Portugal não tenho nada parecido. No entanto estou desiludida: algumas são só de 2 em 2 semanas, outras 1x por mês e noutras o método de ensino não é o melhor.
E eu sei que para alguns de vós pode ser um absurdo eu ser de Erasmus e estar preocupada com as aulas. Pois bem, se eu nunca entrei no espírito académico, muito menos iria entrar no verdadeiro espírito de Erasmus, certo? Vocês percebem a que me refiro. Mas eu não me estou a lamentar, porque não faz sentido queixar-me de não fazer algo que eu prefiro não fazer. 

Há também o aspecto de viajar muito e de conhecer montes de pessoas. Sobre as viagens, eu prefiro fazê-las a outros sítios sem ser nos países em redor e em alturas mais favoráveis (economicamente) da minha vida. E sobre as pessoas já se sabe que, na sua maioria, se estão a fazer Erasmus não querem propriamente conhecer outras pessoas para terem tertúlias intelectuais, if you know what I mean.

Se me sinto sozinha no meio de tanta gente com a qual não me identifico? Sim, por vezes sinto, mas por outro lado sei que tenho a meu lado (não necessariamente apenas aqui) pessoas que se importam comigo e que me têm dado muito apoio. Não é que eu esteja aqui a viver horrores porque não estou, LOL, apenas sabe bem receber este carinho familiar que me reconforta em dias mais cinzentos.

No entanto, apesar destas coisas menos boas, se agora me dessem a escolher entre continuar o Erasmus até ao final do semestre ou ir já para casa, eu escolheria a primeira opção. Porque ainda falta metade, porque sei que mais coisas hão-de acontecer, porque não quero deixar a oportunidade a meio, porque ainda há coisas e sítios por conhecer e muitas outras razões. Mas, sem dúvida, que estou ansiosa por ir a casa pelo Natal, aspecto esse que o pessoal de cá vê como um verdadeiro luxo ou até insignificante mas do qual eu não iria abdicar por nada 

Posts relacionados

8 comentários

  1. Nunca fiz Erasmus, e era uma experiência que adorava ter. Conheço uma pessoa que o fez tanto na Polonia, bem como outro projecto semelhante, no Brasil. Essa pessoa da experiência que teve na Polonia nunca me falou muito nela, e eu até creio que não tenha sido a experiência da sua vida. Contudo, em relação à experiencia que teve no Brasil (que foi anterior à experiência na Polonia) só oiço falar bem. Tanto em relação às aulas, como à socialização, como a tudo. Pode parecer que não tem muito a ver com o que mencionaste, mas essa pessoa também nunca se interessou muito pelo espirito académico e por tudo o que isso envolvia. Mas tratou-se de uma questão de aproveitar ao máximo o sítio onde estava, ficar a conhecer melhor os hábitos dos países em questão, e também de tirar algum partido da experiência e das aulas, visto que no caso dele foi seleccionado entre dezenas de pessoas do mesmo curso.
    Talvez não seja a melhor pessoa para dar “conselhos” porque lá está, nunca tive essa experiência, mas aproveita ao máximo para conhecer o sítio, a cultura, e as pessoas. Não quer dizer que queiram todos os mesmo lol até porque é como em tudo, há pessoas boas e más, pessoas com boas intensões e com más. Não quer dizer que tenham que ser amigos para sempre. Mas sim de aproveitar e conhecer pessoas novas.

    Beijinhos, Matilde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Matilde, obrigada por esse incentivo da tua parte :)
      No entanto a Polónia e o Brasil não têm nada a ver um com o outro, principalmente no que toca à maneira de ser das pessoas. Eu já estive no Brasil (apenas em férias, nao a fazer mobilidade) e as pessoas sem dúvida que são muito mais dadas e as coisas acabam por acontecer com naturalidade, além disso é um país lindo, cheio de sol... completamente o oposto da Polónia, LOL. Porque aqui começa a anoitecer às 15h e só por essa razão já não dá tempo nem vontade de sair para conhecer o que quer que seja, além disso os polacos não são um povo hospitaleiro, pelo que se torna muito difícil conhecer os seus costumes, coisa que eu adoro fazer quando estou noutro país.
      Obrigada pelo teu conselho mas como deves compreender torna-se difícil aproveitar ao máximo o sítio onde estou, no entanto faço os possíveis para fazer com que tudo isto valha a pena :)
      Beijinhos *

      Eliminar
  2. adorava fazer erasmus, infelizmente não tenho possibilidades económicas para isso... para além disso, tenho o meu namorado a fazer erasmus, o que ainda me deixa mais com o bichinho de querer, e uma maior tristeza por não poder... mas não se pode ter tudo na vida não é?

    e quanto ao espírito Erasmus... Acho uma parvoíce dizerem que o espírito de Erasmus é festa e bebedeira... É que eu acho que é tão mais do que isso... É conheceres outra cultura, desafiares-te a fazer coisas que dantes nem pensavas fazer, é arriscares e saíres da tua zona de conforto e, acima de tudo, aprender muito a nível pessoal. Isso para mim é o espírito...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. na altura em que abriram as inscrições para Erasmus, eu também fiquei muito indecisa por causa de uma série de aspectos (que até cheguei a escrever aqui no blog) e um deles era a incerteza em relação ao dinheiro, pelo que optei por um país onde o custo de vida é mais baixo que o nosso - Polónia. Não dá para ter grandes luxos (principalmente viajar tanto quanto gostaria), mas também não estou mal :)

      sobre o espírito de Erasmus: podes crer que para a maioria das pessoas é esse mesmo. Sim, é ridículo porque fazer Erasmus é uma experiência enriquecedora e há tanto mais para aproveitar sem ser passar a vida nos bares a beber e a sair com quantas-mais-pessoas-melhor. É por isso que eu aqui, por ser como sou e também por ter namorado (o meu deve perceber bem o que estás a sentir), me sinto um bocado deslocada.

      Eliminar
  3. Cheguei a conhecer um casalinho que foi para a Polónia em Erasmus mas desfez-se no Erasmus. O espírito do programa acaba por ser o que já foi descrito isto é quem bebe mais canecas de sumo de cevada aliado com quem acaba a noite com o maior número de pessoas no quarto. Se estás a conseguir resistir a isso tudo fazes bem. Eu pessoalmente apoio quem gosta de rumar um pouco contra maré. Espero que consigas chegar até ao fim do programa bem resistente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada :)
      eu vim para cá já com ideia de como as coisas iam ser, por isso estava mentalizada. além disso já não falta muito e acredito que o pior já passou :)
      beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}