reflexão | 'É de um curso profissional? Então não o vou empregar.'

17.10.12 SARA SILVA 14 Comments

Continuo desiludida com o nosso país. Agora ainda mais. 
Parece afundar-se como se de um barco se tratasse e eu não vejo salvação: vai tudo de mal a pior.

Estando eu a mais de 3000km de Portugal, e recusando-me a consultar as páginas de jornais para não saber de mais desgraças, acabo por as encontrar no facebook, ditas por quem sofre com todas as medidas impostas e por quem se recusa a baixar os braços.
Hoje, por exemplo, voltei a deparar-me, através deste artigo, com a questão do ensino profissional, para o qual querem encaminhar alunos com menos capacidades e/ou com um baixo desempenho. Ora eu, tendo feito o meu secundário num curso profissional, estou visivelmente em desacordo com esta medida! É de conhecimento geral que nos países europeus mais desenvolvidos, a maioria dos estudantes frequenta um curso profissional e, bem, não podem ser todos burros! E é este preconceito que me tira do sério, esta ideologia de que quem frequenta um curso profissional é alguém com poucas capacidades, porque supostamente esses cursos são muito fáceis. E eu digo: preferi muito mais ter tirado um curso profissional, no qual aprendi uma profissão com a prática, no que andar no secundário regular a decorar matéria que não me iria servir para nada! E eu sei do que falo porque estive um ano a estudar em Línguas e Humanidades e senti que aquilo não me levava a lado nenhum, tendo então decidido-me a optar pelo curso profissional de Técnico de Turismo. 

E nisto, vejo que andei três anos a estudar para nada porque, actualmente, o turismo no nosso país não está a ser aproveitado como devia e, segundo esse tal artigo que li, se essa medida for para a frente, até os empregadores vão desvalorizar alunos que tenham frequentado esse tipo de ensino. E se há quem esconda as licenciaturas do seu currículo para conseguir um emprego, agora vai haver também quem esconda o secundário. Aplausos, por favor!

Posts relacionados

14 comentários:

Sim é realmente de louvar!
Cada vez mais tenho vergonha do meu pais.

Misa disse...

Se eu soubesse o que sei hoje tinha frequentado um curso profissional no secundário, até digo isso várias vezes. Exatamente por isso, aprende-se algo prático, útil no fundo. Já terminei o ensino superior e senti isso logo no primeiro ano. Claro que dependerá das áreas escolhidas, no meu caso era perfeitamente possível.

Vanessa. disse...

Eu já nem me dou ao trabalho de comentar este país, sério que não! Há coisas que não são para entender, é o que acho! É uma vergonha!

Gosto imenso do teu blog, sigo *

GIVEAWAY “Aphrodite” – Participa!

L' Amoureuse disse...

Isto só reflecte o quão pouco as pessoas sabem e o quão ignorantes são, relativamente a cursos profissionais. Eu também tirei um curso profissional (área de programação de informática)e lembro-me de andar no 11º e ter colegas que estavam no ensino "dito normal" que só nesse ano estavam a dar matéria que eu já tinha aprendido no 10º.
Mais, eu nunca pude falhar um módulo, todos os teste tinham de ter nota positiva ou tinha de o tornar a repetir, que eu saiba no secundário os alunos passam por média de testes. Gostava de saber onde é que estão as facilidades aqui, ou em qualquer matéria relacionada com um curso profissional. Foi uma mais valia na altura e vai ser sempre uma mais valia para quem quer realmente saber trabalhar. O que é melhor, empregar alguém que tenha algum conhecimento de causa relativa a uma área, ou empregar alguém a quem se vai ter de ensinar tudo e que não sabe de nada, ou melhor tem um ou outro conhecimento relativo a alguma coisa?!?
É por estas e por outras que realmente o nosso país não sai da charco.

É claro que estou contra isso e acredito que não sejam todos burros e que alguns tirem bom proveito destes cursos! No entanto nunca vi ninguém a desistir\chumbar de um curso profissional e vir para o dito «normal», agora o contrário é aos montes...
E depois é profundamente injusto os cursos profissionais não pagarem nada! Não se justifica. Se nós pagamos porque é que eles não? Não estou a falar de pessoas com subsidio, estou a falar de todos aqueles que frequentam o ensino profissional. As VISITAS DE ESTUDO são de borla, PORQUÊ? E mais, cursos profissionais que sejam em empresas, não em escola, são PAGOS! Eles recebem 50€ por mês + sub. de alimentação (4€\dia), mas isto cabe na cabeça de alguém?!
Nós não somos mais que vocês nem vocês mais que nós... Igualdade acima de tudo.

Sara Silva disse...

é verdade, também não conheço ninguém que tenha deixado o ensino profissional para se juntar ao regular, e por alguma razão há-de ser! para mim, os cursos profissionais são muito mais cativantes e enriquecedores.
tens razão, em escolas profissionais e há mais regalias nesses aspectos, mas nem em todas é como dizes. na minha, por exemplo, pelo que me lembro, pagámos todas as visitas de estudo que fizemos.
quanto à remuneração por estágios: eu acho bem. afinal de contas é trabalho e esse valor ajuda no transporte, compra de farda (quando é necessário) e sem dúvida que motiva mais.
Também não concordo com a parte da igualdade porque isso é decidido pela própria escola, que define em quê e até que ponto ajuda os alunos monetariamente, logo não se trata propriamente de desigualdade mas sim de escolhas da instituição.

Sara Silva disse...

parece que anda toda a gente a pensar ao contrário!

Sara Silva disse...

eu estou satisfeita por ter seguido um curso profissional pois sinto que realmente aprendi uma profissão! no entanto esta notícia veio deitar abaixo algum do meu orgulho nisso...

Sara Silva disse...

é verdade, há coisas que não são mesmo para entender e o pior é que quem cria estas leis, parece não entender mesmo!

Sara Silva disse...

concordo com tudo o que disseste e tens toda a razão!
eu não acho que os alunos dos cursos profissionais sejam assim tão favorecidos em termos de ensino, pelo contrário, temos de nos esforçar mais: porque há muitos mais trabalhos para entregar, a repetição de testes e faltas injustificadas pagam-se e não é assim tão pouco, entre outros.
Mas sem dúvida que, no meio disso tudo, há a compensação que, na minha opinião, é muito mais positiva que no ensino regular.

pois como te entendo... o meu curso profissional era bem difícil, e tinha uma coisa optima que era ter várias areas de "prática", aprendi muita coisa lá que se tivesse estudado noutra escola nunca teria aprendido... para não falar que como era particular tinha de se pagar... e não eram 50 nem 70 euros... e agora estes cursos são vistos como, uma merdunça, só vai para lá gente que nãi interessa. ninguem sabe o quanto eu e os meus pais nos esforçamos para eu estar lá, e consegui fazer os 3 anos sem perder nenhum. tb estou um bocado revoltada...

Anónimo disse...

Hoje em dia, e sei do que falo, todas as visitas de estudo são de graça. E já contactei de perto com a vivência de estar num Curso Profissional e digo: o grau de dificuldade é mais baixo do que o do ensino regular. Embora acredite que alguns não troquem o profissional pelo regular por realmente gostarem e acharem melhor, temos de admitir: não saem de lá porque lá conseguem passar. Tive colegas da minha área (Ciências e Tecnologias) que não andavam lá nitidamente a fazer nada, mas como a escola não oferecia mais ofertas formativas tiveram de ir para ali (pois não tinham queriam mudar de escola). A verdade é que depois de chumbarem logo no 10.º ano, enveredaram por um curso profissional e agora passam a tudo com grandes notas. Eu sempre vi as dificuldades que eles tinham mas chegaram lá e aquilo sempre foi facílimo. Primeiro, a assiduidade é muitooo valorizada. Se nunca faltares quase que tens a disciplina feita. Vi isso acontecer e professores meus, que também lecionavam turmas de cursos profissionais, diziam-no sem qualquer problema, são mesmo as regras do jogo. Tens de compreender que perante isto os cursos profissionais são muito descridibilizados.
Mas sei reconhecer que que existem cursos e cursos, escolas e escolas, professores e professores e, claro, alunos e alunos. E quem está lá a sério acredito que não seja fácil. Mas é assim em todo o lado, quem quer ser melhor tem sempre de dar o litro! E, na maior parte das vezes, não é valorizado nem reconhecido. O que me parece claramente o teu caso, infelizmente. Conheço várias pessoas que fizeram um curso profissional, se esforçaram, tiveram boas notas e são pessoas super bem formadas, cultas e que sabem mais do que os que estiveram no ensino dito 'normal'. As coisas são mesmo assim. E embora tenha apresentado todos aqueles pontos nos quais discordava de ti, acredita: nunca generalizo porque não acho correto. Bons profissionais não se veêm pelo diploma!

Anónimo disse...

Ao ler tudo o que escrevi não sei se me expressei bem ou pareceu que não tinha 'respeito' por este assunto. Espero que não te sintas mal, apresentei-te a visão de alguém de fora, de um curso científico-humanístico. É esta a perceção que temos. É isto que vemos todos os dias na escola. Sei que, por exemplo, algumas escolas exclusivamente profissionais da minha região levam a coisa mais a sério do que as escolas secundárias...
Eu própria considerei, no início do ensino secundário, fazer um curso profissional. Como a oferta da minha escola era de apenas um, que nem sequer era do meu agrado, e porque sempre tive em vista o Ensino Superior não o decidi fazer.
Se tivesse uma empresa, preferiria alguém trabalhou os assuntos na prática, sabe fazer, mexer! Mas, a verdade é que as próprias escolas não conferem igualdade aos alunos nesses aspeto. As coisas parecem-me estar a mudar, e assim o espero!

Sara Silva disse...

Olá Anónimo :)
Eu respeito as opiniões de quem comenta o meu blog porque cada um fala com base naquilo que sabe. Eu defendo os cursos profissionais sobretudo por ensinarem a fazer, pois do meu ponto de vista a prática é mais importante que a teoria e devia ser mais valorizada do que um 18 conseguido por decorar toda a matéria.
Beijinhos *

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}