viagem | Palácio de Izrael Poznański em Lodz, Polónia - parte 2

by - terça-feira, outubro 09, 2012

Como prolongamento do post sobre o jardim do Palácio, venho agora dar-vos a conhecer o interior deste incrível palácio.

Inicialmente estava nos nossos planos visitá-lo no Sábado, mas ainda bem que o fizemos no Domingo porque, nesse dia, a entrada é grátis para visitantes individuais! Ainda nem acredito que visitei um sítio destes sem pagar absolutamente nada 😀

De forma geral fiquei surpreendida pela humildade interior do Palácio: não há nada de muito extravagante como se vê, por exemplo, no Palácio da Pena. Isto deve-se, maioritariamente, ao facto deste Palácio ter pertencido à burguesia e não à realeza. Outra das coisas que me surpreendeu foi a riqueza de retratos! Há-os por todo o lado e eu acho que isso, sem dúvida, transmite um ambiente mais familiar, além de servir para homenagear os iniciais moradores.

Desculpem a falta de qualidade das fotografias, não era permitido usar flash no interior do palácio.

à esquerda encontra-se uma das várias senhoras que se certificam que nenhum dos visitantes infringe as regras
achei super ternurenta a fotografia do casal em cima da secretária!
o corredor dos quartos, um tanto ou quanto sinistro...

 Exposição sobre a vida do pianista Arthur Rubinstein

primeiro prémio da esquerda: American Television Academy - EMMY - ganho em 1969 pelo filme "L'Amour de La Vie"
segundo prémio da esquerda: American Film Academy - OSCAR - ganho em 1969 pelo papel principal no filme "L'Amour de La Vie". O OSCAR foi cedido ao director Francois Reichenbach e ao produtor Bernard Chvrey
as nossas marcas no livro de visitas

É pena que muitas das placas referentes aos objectos não tenham tradução em inglês. Por exemplo: não sei se esta exposição de Arthur Rubinstein no Palácio se deve ao facto de ele lá ter vivido ou não.
No entanto gostei muito de visitar este local, tão rico em elementos pessoais (objectivos, fotografias...) e em tão bom estado de conservação.

Além desta parte do Palácio propriamente dita, o restante espaço do edifício (rés do chão) foi aproveitado para duas exposições de arte, com estilos, artistas e épocas distintas.

Posts relacionados

3 comentários

  1. Fiquei pasmada, com a quantidade de retratos! Um espaço mais humilde, que adorava visitar!

    ResponderEliminar
  2. O palácio é super giro e adoro ver tantos objectos antigos, como a máquina de escrever, ou os serviços de chá, sempre adorei coisas deste género, apesar de últimamente estar "na moda" por ser considerado vintage. Acho que há uma beleza singular nas coisas que outrora foram consideradas as coisas em voga e, estranhamente, acho-as sempre mais giras que as actuais.

    xxx
    Lily
    http://aridehome.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}