reflexão | Talentos pessoais

by - sexta-feira, maio 11, 2012

Eu acredito que toda a gente nasceu com um dom especial para alguma coisa, o chamado "talento". Algo que nos torna especiais, sem termos de nos esforçar tanto como outras pessoas para conseguir sucesso. 

Algumas de vocês devem estar agora a questionar-se se isto é mesmo assim e, se for, qual será o vosso próprio talento. Há quem descubra o seu muito cedo e se revele um autêntico prodígio (como aqueles vídeos no youtube, de crianças a cantar ou a tocar um instrumento com uma facilidade incrível, como se o fizessem há anos), mas outras pessoas demoram tempo para descobrirem e, por vezes, ele já se manifestou e elas ainda não se deram conta.
Este é um tema que me inquieta, porque tenho algumas pessoas à minha volta que já o descobriram e trabalham no sentido de se aperfeiçoarem, e isto deixa-me a pensar "Qual será o meu?". Esta é uma questão importante neste momento da minha vida, em que me sinto insatisfeita com qualquer coisa que eu ainda não percebi ao certo o que é, algo que me faria sentir realizada e que daria um novo sentido à minha vida... talvez esteja a precisar de conhecer aquilo em que sou realmente boa, o meu talento, e fazer uso disso mesmo para combater este vazio.

Já pensei nas hipóteses, que são limitadas e um pouco incertas. Tratam-se de actividades que, em tempos, faziam parte do meu quotidiano, em momentos diferentes da minha vida. Uma delas é um determinado tipo de dança que pratiquei dos 11 aos 14 anos e que me fazia sentir bem, de uma forma que não sei explicar, mas com essa idade eu era muito instável em relação ao que queria, e abandonei a actividade para experimentar outra, que se revelou uma desilusão. Anos depois, comecei a sentir o arrependimento por o ter feito e, se nessa altura não tinha condições para voltar, agora ainda menos. E há dias em que isto me deixa melancólica porque me começo a questionar até onde poderia ter chegado, porque eu gostava mesmo daquilo, e a professora dizia que eu tinha capacidades...

A outra actividade, que não tem muito a ver com essa, apesar de também estar muito ligada à parte física, tem estado presente desde os meus 14 anos, idade com que fiz a primeira formação, e que despertou em mim a vontade e a esperança de poder chegar mais longe. Desde então participei e fui convidada a participar em várias coisas relacionadas com isso, mas no final do ano passado aconteceram alguns episódios que me desmotivaram, então eu achei que era melhor parar durante um tempo, para perceber se realmente queria continuar (escrevi um pouco sobre isso neste post). No entanto hoje sinto falta, era algo que me dava ânimo e fazia com que eu me valorizasse mais...

E hoje tive uma conversa com uma amiga da turma, sobre isto dos talentos, que me fez olhar para as outras de outra forma. Ela estava certa quando disse que o seu talento (pintura e desenho) provavelmente não a iria levar muito longe, que seria muito difícil fazer disso a sua forma de vida, mas porque não tentar? Porque não pensar mais além? Ser ousada, ter a coragem de nos destacar-mos e tentarmos a nossa sorte! E eu fiquei inspirada pelo seu discurso, fez-me querer voltar a fazer tudo aquilo outra vez, e tentar, novamente....

Posts relacionados

3 comentários

  1. bem,eu também acredito no talento,desde pequena que teimo em dizer que vou ser arqueologa,investi nisso e hoje só falta 2 anos para ir para a universidade de arqueologia,apesar de amar isso tamben adoro musica,já tive elogios até de um professor de canto,mas é uma coisa difícil,exige tempo e mundo da musica não é algo que queira seguir,talvez um dia tente seguir os passos dos cantores que começam pelo youtube,em pequenos canais,talvez um dia,primeiro preciso é de comprar uma câmera descente para filmar.
    Mas muitas pessoas não seguem os seus sonhos e todos me dizem que devo pensar primeiro no que tem futuro e não só nos meus sonhos,mas primeiro vou tentar arqueologia,se não resultar,procuro algo que dê futuro,melhor tentar seguir os nossos sonhos do que no futuro recordar como nos sentimos desiludidas por nem sequer tentar seguir os nossos sonhos

    ResponderEliminar
  2. Valy: uma coisa é certa: é mais difícil conseguir singrar em áreas artísticas que nas outras!
    Disseste "Mas muitas pessoas não seguem os seus sonhos e todos me dizem que devo pensar primeiro no que tem futuro e não só nos meus sonhos" e é bem verdade, a nossa sociedade tem a tendência para nos "matar os sonhos" e dizer-nos para investirmos a nossa formação em algo mais consistente, mas isso nem sempre acontece como esperado e pode resultar em pessoas frustradas com o seu trabalho e, consequentemente, maus profissionais, como tantas vezes encontramos por aí, nas mais diversas áreas.
    eu acho que fazes bem em ter esse pensamento de primeiro tentares o teu sonho e, se não der, optas por outra coisa, pelo menos não te arrependes de não ter tentado :)

    ResponderEliminar
  3. Não podia concordar mais com o que disseste no post. E o gif no fim deste não podia ser mais exemplificativo.
    Também acredito que todos nós temos um "dom" ou talento, que todos somos capazes de fazer algo grandioso e com siginificado; mas também é certo que uns encontram esse "dom" mais cedo do que outros. Nesse aspecto penso que tive sorte (como está escrito no gif), uma vez que descobri algo que me faz muito feliz e em que, aparentemente (só o futuro dirá melhor) sou boa desde que comecei o 2º Ciclo. Nunca desisti deste meu sonho (e tenciono nunca desistir dele), mas admito que não tive a coragem suficiente para seguir certos caminhos que teriam sido melhores para o meu sonho - o que me leva a concordar (e bastante) com o gif ("the important thing in life is courage").

    Beijinhos!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo teu comentário ♡
{activa a opção 'Notificar-me' para saberes quando respondi}